Série completa do Jaspion é lançada no Brasil

Posted in filmes with tags , , , , on maio 6, 2009 by André

Os fãs podem comemorar. Chegam no Brasil em dois volumes os 45 capítulos de “Jaspion”, em duas versões: box e lata, ambas com 5 DVDs cada. A série de única temporada (1985) do gênero tokutsatsu (seriados japoneses com efeitos especiais), curiosamente, assim como “National Kid”, não fez sucesso em sua terra natal, mas tornou-se febre no Brasil.

Transmitida pela extinta TV Manchete, virou álbum de figurinhas, coleção de bonecos, material escolar e até espetáculo de circo no Brasil. A produção beirava o trash: herói japonês com cabelo black power, monstros visivelmente feitos de borracha, um bebê alien que lembra um ancestral dos Teletubbies, a mesma pedreira que servia de cenário para todos os combates e um vilão com visual copiado de Darth Vader, incluindo capa preta e espada-laser.

A estratégia da antiga rede de tevê carioca foi a seguinte: durante anos o último episódio da série foi adiado, aumentando a curiosidade do público. Esse fato, somado à carência da platéia nacional por um novo herói oriental, gerou grande audiência. E “Jaspion” virou cult, abrindo as portas para uma enxurrada de outros seriados orientais: “Flashman”, “Jiraya”, “Spielvan”, e até desenhos como “Cavaleiros do Zodíaco” e “Dragon Ball”, entre tantos outros.

O lançamento tem imagem e som remasterizados e vem com a opção de assistir às aventuras na dublagem original brasileira. Quem dublava o protagonista era o ator Carlos Takeshi, que participou de algumas novelas e foi apresentador por doze anos do canal a cabo Shoptime, onde vendia computadores e games. O box traz trailer e galeria de fotos. Mas é na lata que estão os melhores extras, incluindo comentários e brindes, como figurinhas e um boneco do herói.

FONTE: UOL

Atentado contra a familia real da Holanda

Posted in noticias with tags , , , , , on maio 2, 2009 by André

Motorista joga o carro contra a multidão que assistia um desfile da familia real … tem doido para tudo mesmo

Filho do Mussum com o Zacarias

Posted in humor with tags , , , , , , , , , on maio 2, 2009 by André

mussum-zaca-jb

Mussum e Zacarias estão em alta no forum hein… 2 postagem envolvendo o nome deles e menos de uma semana😀

Propaganda da Dell imitando o Créu

Posted in humor with tags , , , , , , , on maio 2, 2009 by André

Rsrs que decadencia hein!!!!!!

Comercial muito bacana

Posted in interessantes with tags , , , , , , on maio 1, 2009 by André

Bem legal e tocante

Perguntas e resposta sobre a gripe suína

Posted in humor with tags , , , , , , , , on abril 30, 2009 by André

Com a Gripe Suína, devo parar de comer carne de porco?
Antes do comer o porco, é necessário checar se o animal está espirrando ou com corisa. Se estiver, não se aconselha o consumo nem que a vaca tussa. Se a carne do animal for industrializada, é necessário verificar a marca do produto. A carne de porco que não for sadia é Perdigão.

Devo evitar restaurantes de comida mexicana, já que a Gripe Suína originou-se no México?

Não necessarimente. Deve-se evitar apenas os restaurantes que tiverem cozinheiros porcos. Desse modo, restaurantes de culinária francesa devem exibir certificado que seus chefs tomam banho diariamente. Também não é verdade que a churrascaria Porcão será interditada.

A jornalista e analista econômica Miriam Leitão faz mal à saúde?
Apenas à saúde dos cofrinhos em forma de porco.

Quem toma banho também pega a Gripe Suína?

Não. Só é arriscado o banho de lama medicinal compartilhado com porcos.

O suíno que leva gripe para a Venezuela é um porco Chavinista?
Provavelmente. Mas na América Latina, os vírus invasores preferem usar como porta de entrada a Baía dos Porcos, em Cuba.

A torcida do Palmeiras corre risco de contaminação?
Não. “Porco” é apenas o apelido da torcida palmeirense, sem nenhuma equivalência em sua constituição física. Da mesma forma, não há riscos se aquele que é Fluminense doente vier a fundar uma nova torcida com o nome de Swine Flu.

Meu filho está se arriscando ao ver desenhos animados com porcos?
Já foi descartado o boato de que o Patolino e o Gaguinho tenham se envolvido sexualmente e gerado a gripe suína, que tem componentes genéticos da gripe aviária. Portanto, programas com o personagen, assim como com a Miss Piggy (dos Muppets) e o Leitão (do Ursinho Pooh), podem ser vistos pelo público infantil sem maiores problemas. Fábulas infantis, como a dos Três Porquinhos, também estão liberadas.

Devo realmente usar máscaras para evitar a contaminação?
O uso de máscaras é um mito propagado por Michael Jackson. Na verdade, o cantor sempre usou máscara não para evitar contaminação, mas para segurar seu nariz depois de cada cirurgia plástica. A OMS estuda, no entanto, a obrigatoriedade de máscaras nos porcos.

Fonte: Peguei no forum da mmocentral, nao sei ao certo quem é o autor do texto

Eletrificação de cadáveres humanos

Posted in bizarro with tags , , , , , , on abril 29, 2009 by André

Em 1780 o professor de anatomia italiano Luigi Galvani descobriu que uma fagulha de eletricidade poderia fazer os membros de um sapo morto se moverem. Logo cientistas de toda a Europa estavam repetindo seu experimento. Mas não demorou muito até que se cansassem de sapos e decidissem tentar um animal maior. O que aconteceria se um cadáver humano fosse eletrificado?

O sobrinho de Galvani, Giovanni Aldini, viajou pela Europa oferecendo espetáculos de revirar o estômago. Sua mais celebrada demonstração ocorreu em 17 de janeiro de 1803 quando ele aplicou os pólos de uma bateria de 120 volts ao corpo do assassino executado, George Forster.

Quando Aldini introduziu fios na boca e nas orelhas do morto, os músculos de sua mandíbula se agitaram e seu rosto se contorceu em uma expressão de dor. Seu olho esquerdo abriu como se para observar seu carrasco. Para o grand finale Aldini prendeu um fio em sua orelha e outro em seu reto. O cadáver de Forster iniciou uma dança repugnante. O London Times escreveu “Pareceu aos desinformados da platéia que o cadáver estava sendo ressuscitado”.

Outros pesquisadores conduziram experiências semelhantes na esperança de reviver os mortos sem sucesso.